Caminhão cai em córrego e três ficam feridos

24/03/2017 12:31

unnamed (4)

unnamed (1)

unnamed (7)

unnamed (3)

unnamed (2)

unnamed (6)

unnamed (5)Um caminhão caçamba capotou por um barranco, a uma altura aproximada de 10 metros, e caiu em um córrego, no bairro Gaspar, na manhã desta sexta-feira (24). O acidente aconteceu na Rua Gaspar Zem, onde o veículo era utilizado nos trabalhos de finalização da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro, e os três ocupantes ficaram feridos. O socorro foi prestado pelo Corpo de Bombeiros e Samu, e As vítimas são um servidor público municipal e dois detentos de Muriaé que prestam serviço externo, como medida de ressocialização, através d convênio entre o Sistema Prisional e a administração municipal. Um dos ocupantes do caminhão chegou a ficar desacordado, mas recobrou a consciência ainda durante o resgate. Todos apresentavam ferimentos pelo corpo e um deles sofreu um corte na cabeça, provocado por uma forte pancada, com suspeita de traumatismo craniano (TCE), a princípio, de grau de leve. As vítimas foram resgatadas com uso de cordas e auxilio de populares,, sendo levadas ao Pronto Socorro do Hospital São Paulo (HSP). Até o momento não há detalhes das causas do acidente.

Muriaé – Dois menores são apreendidos viajando clandestinamente em uma “Cegonha” mais de 1.000 KM

24/03/2017 3:49

20170323185700_728

DSC00048_620x465

DSC00044_620x465-1

Policiais do Posto da Polícia Rodoviária Federal, localizado na BR-116, em Muriaé, apreenderam nesta tarde de quinta-feira, dois menores, de 14 e 15 anos de idade, que viajavam clandestinamente e de forma camuflada em uma composição de transporte de veículos – Cegonha – deitados no interior de uma caminhonete Ford Ranger. O veículo seguia da fábrica da Ford, em Camaçari, na Bahia, de onde partiu por volta das 12 horas desta terça-feira, 21 de março, com destino a São Paulo, conforme informou o motorista.

Em depoimento aos militares rodoviários, o motorista disse que após deixar a fábrica, fez uma parada no final daquela tarde no município de Jaguaquara-BA, e que ele acredita ter sido ali onde os adolescentes embarcaram no seu caminhão, durante a madrugada. Ainda, de acordo com ele, somente ficou sabendo da presença dos menores na “cegonha” porque um colega caminhoneiro, também transportando veículos, ao ultrapassá-lo na zona urbana de Muriaé, viu os garotos dentro da caminhonete e lhe comunicou via rádio amador, aconselhando-o a parar no posto policial da cidade.

Os menores, um de 14 anos e o outro de 15 anos, entraram no veículo que estava dentro da Cegonha, no distrito de Entroncamento, município de Jaguaquara, na Bahia, no meio da madrugada, quando a carreta estava parada no Posto Pousada Paraná.  Durante a viagem, segundo os meninos, eles apenas tomaram água. O caminhoneiro disse que em momento algum percebeu que eles viajavam na cegonha, e só tomou conhecimento na região de Muriaé, quando um colega do mesmo setor, ao passar por ele, viu os meninos na carroceria de uma caminhonete Ford Ranger, e o comunicou via rádio.

No Posto da PRF os inspetores fizeram uma busca nos carros que o caminhão transportava e encontraram os dois adolescentes deitados no fundo do compartimento de carga da Ford Ranger, de forma camuflada. Eles desceram do veículo e foram vistoriados, bem como as três sacolas que traziam roupas, objetos de uso pessoal e um simulacro de arma de fogo que pertencia a um dos menores. Eles disseram aos policiais rodoviários que viajavam com destino a São Paulo com intenção de começar vida nova. Um deles revelou que morava sozinho de aluguel pago por seu pai e apenas sua madrasta sabia sobre a viagem.  Os dois adolescentes, acompanhados de um representante do Conselho Tutelar de Muriaé, foram conduzidos até à delegacia de polícia, juntamente com o simulacro de arma de fogo apreendido, para serem tomadas as providências legais.

FONTE: PRF

 

 

Câmara aprova terceirização para todas as atividades da Empresa. Trabalho temporário passa de 3 para 6 meses

23/03/2017 15:06

img201703222155507895018_620x413

img201703221337294904971_620x406

img2017032215235412361_620x406Câmara aprova terceirização para todas as atividades da empresa. Texto também aumenta de três para seis meses o tempo permitido para trabalho temporário. Matéria segue para sanção presidencial. O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, , o Projeto de Lei 4302/98, que permite o uso da terceirização em todas as áreas (atividade-fim e atividade-meio) das empresas.

Foi aprovado um substitutivo do Senado para a matéria, que também aumenta de três para seis meses o tempo do trabalho temporário, prazo que pode ser alterado por meio de acordo ou convenção coletiva de trabalho. O texto será enviado à sanção presidencial. Texto aprovado nesta quarta-feira (22) também libera o trabalho temporário tanto para as atividades-fim quanto para as atividades-meio das empresas.

A matéria foi aprovada com parecer do deputado Laercio Oliveira (SD-SE), que excluiu do texto uma anistia para as empresas – tanto contratantes quanto de terceirização – relativa a multas e penalidades impostas com base na legislação modificada e não compatível com a nova lei.

Outra mudança no parecer, relacionada ao trabalho temporário, inclui trecho da redação aprovada anteriormente pela Câmara para deixar claro que essa modalidade poderá ser usada nas atividades-fim e nas atividades-meio da empresa.

Responsabilização

Quanto às obrigações trabalhistas, o texto aprovado estabelece a responsabilidade subsidiária da empresa contratante em relação à responsabilidade da empresa de serviços terceirizados pelas obrigações trabalhistas. A redação anterior da Câmara previa a responsabilidade solidária. Todas as mudanças ocorrem na Lei 6.019/74.

Na responsabilidade subsidiária, os bens da empresa contratante somente poderão ser penhorados pela Justiça se não houver mais bens da fornecedora de terceirizados para o pagamento da condenação relativa a direitos não pagos. Na solidária, isso pode ocorrer simultaneamente. Contratante e terceirizada respondem ao mesmo tempo com seus bens para o pagamento da causa trabalhista.

Já as obrigações previdenciárias deverão seguir a regra estipulada na Lei 8.212/91, que prevê o recolhimento de 11% da fatura de serviços de cessão de mão de obra a título de contribuição previdenciária patronal. Esse recolhimento é feito pela empresa contratante e descontado do valor a pagar à empresa de terceirização.

Garantias no contrato

O substitutivo do Senado também muda cláusulas que deverão constar obrigatoriamente do contrato de prestação de serviços.

Em relação ao texto da Câmara, saem cláusulas sobre a forma de fiscalização da tomadora de serviços quanto ao recolhimento de obrigações previdenciárias e trabalhistas e a previsão de multa de R$ 5 mil por descumprimento dessas obrigações a cada trabalhador prejudicado.

Condições de trabalho

Diferentemente do texto da Câmara, que previa a garantia, aos terceirizados, do mesmo atendimento médico e ambulatorial destinado aos empregados da contratante, o substitutivo do Senado torna isso facultativo, incluindo nesse caso o acesso ao refeitório.

Permanece, entretanto, a obrigação de a contratante garantir condições de segurança, higiene e salubridade aos trabalhadores.

“Quarteirização”

Será permitido à empresa de terceirização subcontratar outras empresas para realizar serviços de contratação, remuneração e direção do trabalho a ser realizado por seus trabalhadores nas dependências da contratante. Esse artifício é apelidado de “quarteirização”.

Capital mínimo

Em vez de um capital mínimo de R$ 250 mil, como previa o texto aprovado anteriormente pelos deputados, a redação do Senado cria um escalonamento segundo o número de empregados da empresa de terceirização.

Para aquelas com até dez empregados, o capital mínimo seria de R$ 10 mil; de 10 a 20, de R$ 25 mil; de 20 a 50, capital mínimo de R$ 45 mil; de 50 a 100 empregados, capital de R$ 100 mil; e aquelas com mais de 100 funcionários, um capital mínimo de R$ 250 mil.

O texto que irá à sanção também exclui da versão da Câmara a proibição de contratação para prestação de serviços entre empresas do mesmo grupo econômico, situação em que a empresa de terceirização e a empresa contratante seriam comandadas pelos mesmos controladores.

Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Marcelo Oliveira
Colaboração/Fonte: Agência Câmara Notícias

Polícia Rodoviária de Dona Euzébia prende dupla por tráfico de drogas

23/03/2017 14:50
20170323120824_513
 A Polícia Militar Rodoviária de Dona Euzébia prendeu dois ocupantes de um Gol preto, placa de Ubá/MG, que também foi apreendido, no Km 80 da MG-285, em Astolfo Dutra na noite desta quarta-feira, 22 de março, por tráfico de drogas e condução perigosa. Um deles foi reconhecido por testemunhas como “traficante contumaz na região de Diamante”, localidade próximo de Rodeiro.  Durante patrulhamento efetuado pelo sargento Cassiano e cabo Benevides naquela rodovia, por volta das 21h30min eles viram um Gol preto saindo de um descampado escuro à margem da rodovia em situação suspeita e após se aproximar do veículo deram ordem para que parasse, mas o motorista preferiu fugir. A viatura iniciou perseguição e durante a fuga, segundo narraram os policiais, o carona jogou para fora do veículo diversas sacolas e objetos até que ao sair da rodovia e entrar numa rua sem saída, os policiais se aproximaram para fazer a abordagem, quando os dois homens tentaram fugir à pé, mas foram contidos e algemados.
20170323120919_966
Antes de descerem do veículo o carona ainda jogou pela janela outra sacola que caiu em um matagal. Segundo disseram aos policiais, estavam consumindo cocaína no local onde foram vistos pelos militares rodoviários. A sacola foi localizada pelos policiais e dentro dela foram encontrados um rádio transmissor e uma base carregadora, seis pedras de crack e seis pinos vazios utilizados para embalar cocaína, que o passageiro disse ser de sua propriedade e que iria vender a droga por dez reais cada pedra de crack. Dentro do Gol foram localizados a quantia de cem reais em notas de cinquenta. Os militares procuraram o restante do material que a dupla dispensou durante a fuga pela rodovia, mas obteve informações que uma pessoa passou em uma motocicleta e recolheu o que provavelmente seria a droga. Testemunhas também disseram aos militares que a dupla teria se instalado recentemente em um imóvel no Km 76 daquela rodovia, em Astolfo Dutra. Apesar destas informações os policiais fizeram uma varredura pela estrada e encontraram dois cigarros de maconha parcialmente consumidos e dois papelotes de cocaína que após serem apresentados aos suspeitos assumiram a propriedade dos entorpecentes.
O carro foi levado para o pátio credenciado do Detran-MG em Cataguases e os dois suspeitos foram conduzidos para a Delegacia Regional de Polícia em Leopoldina onde prestaram depoimento ao delegado de plantão que ratificou a prisão em flagrante de ambos sendo os dois posteriormente conduzidos ao presídio de Cataguases onde estão à disposição da justiça
FONTE: PM

Em pesquisa pioneira, Governo de Minas Gerais mapeia inimigo da lavoura cafeeira e detecta plantas resistentes

23/03/2017 14:44

unnamed

Um estudo inédito no estado, desenvolvido pelo Governo de Minas Gerais por meio da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), tem como foco o combate ao Meloidogyne paranaensis, uma das espécies mais agressivas de nematoide que ataca as lavouras e o plantio do café. A doença, que torna as plantas fracas e improdutivas, dificulta a absorção de água e sais minerais, causando a morte das raízes, queda das folhas, diminuição da produção e até a morte das plantas. O estudo, coordenado pela pesquisadora da Epamig Sul, Sonia Lima Salgado, avalia a resposta de diferentes plantas de café ao ataque do nematoide M. paranaensis, em área de lavoura naturalmente infestada. O projeto conta com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), do Consórcio Pesquisa Café e do INCT e com a participação da equipe de Melhoramento do Café, composta pelos pesquisadores Antonio Alves Pereira, César Elias Botelho, e Gladyston Rodrigues Carvalho. A pesquisa tem como objetivos identificar as plantas de café resistentes e mapear os focos dos nematoides mais agressivos ao cafeeiro, além de levar informação aos produtores sobre medidas como controle preventivo para conter a disseminação de M. paranaensis. Usar plantas resistentes é a alternativa mais eficaz, econômica e promissora para o controle desses nematoides. A Fazenda Guaiçara, no município de Piumhi, no Sudoeste de Minas, é o local onde, desde fevereiro de 2009, estão instaladas as pesquisas para que sejam detectados os cafeeiros resistentes ao Meloidogyne paranaensis. Com este trabalho, a Epamig já identificou cafeeiros com resistência a Meloidogyne sp. e iniciou o cultivo dessas plantas resistentes em outra área infestada no município de Patrocínio.  Plantas de café geneticamente diferentes são usadas no Programa de Melhoramento Genético da Epamig e mantidas em coleções conhecidas como Banco de Germoplasma do Café. No Brasil, uma das mais importantes coleções está no Campo Experimental da Epamig em Patrocínio, com mais de 1500 materiais genéticos de café. Após a avaliação e o plantio de diversos materiais genéticos, algumas plantas se destacaram e apresentaram resistência a nematoides da espécie Meloidogyne paranaensis. Isso possibilitou avanços para consolidação do estudo, segundo a pesquisadora. “Até o momento, as sementes das plantas resistentes do primeiro estudo,  iniciado em 2009, formaram plantas que, em 2017, estão na quarta colheita na área infestada e confirmam o comportamento de resistência ao nematoide. Algumas dessas plantas estão sendo avaliadas também a esse microrganismo do solo em outra área cafeeira na região do Cerrado Mineiro”, diz Sônia Salgado. Muitos produtores, cafeicultores e técnicos de plantio, desconhecem a problemática dos nematoides no cafeeiro, fato que aumenta o risco de crescimento da população da doença em suas lavouras.Por outro lado, muitos daqueles que estão informados sobre essa doença têm adiado a busca por orientação quanto aos métodos de controle, principalmente preventivos, para evitar disseminação dos nematoides nas áreas cafeeiras e como controlar os focos existentes. O ciclo da doença cafeeira inicia quando as fêmeas dos nematóides colocam ovos de onde saem as larvinhas que se orientam para se hospedar na raiz da planta. O “nematoide-das-galhas”, Meloidogyne, pode parasitar plantas de qualquer idade, disseminando-se na lavoura por meio de mudas, água de chuva e de irrigação, máquinas e implementos. As espécies Meloidogyne paranaensis e m. incognita e exígua são os nematoides mais danosos ao cafeeiro. Os paranaensis e m. incognita parasitam as raízes de tal forma que podem levar a planta à morte, segundo a pesquisadora. Veja o gráfico de evolução do nematoide em áreas cafeeiras na cartilha desenvolvida pela Epamig para difusão da informação clicando aqui. Ela alerta, ainda, para que os cafeicultores realizem testes em suas plantações nos laboratórios disponíveis para análise com o objetivo de ampliar a possibilidade de combate ao nematoide e proteger a produção de café em Minas Gerais. Veja o passo a passo de recomendação de coleta de amostras em lavouras cafeeiras para análise nematológica clicando aqui.

 

Avanços e soluções

A pesquisadora da Epamig, Sônia Salgado, destaca alguns desafios no combate aos nematoides na cafeicultura. O primeiro deles é o longo período para obter uma cultivar de café que seja resistente pelo fato do próprio ciclo de duração da cultura. Além disso, o controle de nematoides na lavoura cafeeira, em curto prazo, se torna difícil diante da escassez de produtos nematicidas eficazes, tanto químico (sintéticos) quanto biológicos.Diante disso, o controle de nematoides na lavoura cafeeira, em curto prazo, se torna difícil diante da escassez de produtos nematicidas eficazes, tanto químico (sintéticos) quanto biológicos. O segundo ponto importante enquanto desafio é a própria escassez no mercado, neste momento, de uma tecnologia capaz de recuperar a curto prazo as plantações acometidas pelo nematoide. A reduzida parceria entre cafeicultores e instituições de pesquisa para viabilizar estudos de controle dos nematoides do cafeeiro também está entre os pontos que necessitam atenção. A confirmação, por outras instituições, da resistência dos cafeeiros selecionados pela Epamig, seja em outras áreas infestadas ou em casa de vegetação é um grande passo rumo à consolidação dessa pesquisa e ao avanço no combate à doença nas lavouras cafeeiras do Estado de Minas Gerais.

Fonte: GOV. DE MINAS

Demsur comemora Dia Internacional da Água com visitas à ETA Gávea e Mina do Madurinho

23/03/2017 13:51

DEMSUR 1

DEMSUR 2

DEMSUR 3

DEMSUR 4

DEMSUR 5

DEMSUR 6

DEMSUR 7

DEMSUR 8

DEMSUR 10

DENSUR 9

Vinte e dois de março foi o Dia Mundial da Água. O Demsur comemorou a data em dois momentos distintos. Na parte da manhã os alunos do quinto ano da Escola Municipal Esmeralda Viana, do bairro Inconfidência I, visitaram a Estação de Tratamento de Água da Gávea, a ETA – Gávea. À tarde foi a vez dos alunos do curso de Técnico em Meio Ambiente do IF sudeste de Minas conhecerem uma nascente protegida, a Mina do Madurinho, no bairro Kennedy.

O Diretor do Demsur, Geraldo Júnior, participou dos eventos. Ele explicou que as ações da autarquia em 2017 serão voltadas, prioritariamente, para impedir que falte água na cidade. “Já adquirimos bombas substitutas para todos os reservatórios e vamos providenciar obras emergenciais nos bairros mais problemáticos, como o Primavera e o Aeroporto, ” afirmou.

Durante a visita à ETA Gávea as crianças conheceram todo o processo de tratamento da água, desde quando ela entra na estação até o momento da distribuição. Elas foram recebidas pela palhacinha Lili, que, de forma lúdica e muito didática, mostrou todo o procedimento aos visitantes. As professoras Miriam Ceribelli e Sônia Ferreira, parabenizaram o Demsur pela iniciativa. Elas disseram que o aprendizado em campo, conforme o que aconteceu na visita, é o que mais toca as crianças. “Elas aprendem e não esquecem mais”, disse Míriam.

Ao final do passeio, os pequenos puderam se divertir com uma apresentação do palhaço Mocotó, que foi se encontrar com Lili para dar mais lições sobre economia de água e limpeza urbana. Os pequenos se surpreenderam ao saber que Mocotó e Lili são na verdade, Alessandro Pontes da Silva, motorista do caminhão de lixo e Elisângela Maria Fagundes, operadora de estação de tratamento de água.

 O período da tarde foi de passeio ecológico, plantio de árvores e piquenique ecológico. Alunos do primeiro período do curso de Técnico em Meio Ambiente, acompanhados dos professores Ana Paula Carvalho, coordenadora do curso e Washington Couto, aprenderam no local, como é feita a preservação de uma nascente.

Durante a visita à mina do Madurinho, local onde, tradicionalmente, as pessoas buscam água para consumo, eles assistiram a uma palestra sobre conservação de nascentes com a Operadora de Estação, Elisângela Fagundes, a Bioquímica Amanda Ramos e receberam explicações dos professores. Os visitantes ainda tiveram a oportunidade de ter uma conversa com o Diretor do Demsur, Geraldo Júnior.

O plantio de árvores também fez parte das atividades. O objetivo, além de garantir maior preservação para a região é proporcionar sombra para os frequentadores do local. Foram plantadas duas mudas, um Ipê Roxo e um Jacarandá. Uma das mudas foi plantada pelo Diretor do Demsur, Geraldo Júnior e a outra pelos alunos do curso.

Os funcionários do Demsur, Paulo Alberto Briggs, Auxiliar de Serviços Gerais e Ronivaldo de Souza, Agente de Fiscalização, participaram das atividades que aconteceram na parte da tarde.

A nascente do Madurinho é uma das minas contempladas pelo projeto Re-nascer, criado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente com coparticipação do Departamento Municipal de Saneamento Urbano – DEMSUR, IEF e EMATER, com o objetivo de preservar localidades com nascentes. O projeto Re-Nascer foi premiado “Top da Ecologia” na VII Edição do Prêmio Hugo Werneck de “Sustentabilidade & Amor à Natureza”, em novembro de 2016.

Leopoldina – PM apreende adolescente com drogas

23/03/2017 10:25

unnamed

Na noite de quarta-feira (22), no bairro Doutor Joaquim Furtado Pinto, a Policia Militar apreendeu uma adolescente, 14 anos, com vinte e cinco (25) pedras de uma substancia semelhante a crack acondicionada em uma sacola plástica. A jovem foi abordada em local ermo sem luminosidade, apresentou-se muito nervosa com a presença policial no local e tentou esconder o material. Segundo a adolescente o material foi adquirido em outro bairro da cidade. A droga apreendia e a adolescente acompanhada pelo Conselho Tutelar foi encaminha para Delegacia Regional de Leopoldina.

Fonte: Assessoria de Comunicação 6ª Cia PM Ind

Depois de perseguição e tentativa de fuga a pé, PRF apreende mais de 200 quilos de maconha próximo a Juiz de Fora

23/03/2017 10:05


unnamed-3_620x314

unnamed-2_620x366

A Polícia Rodoviária Federal em fiscalização na rodovia BR 040, em Juiz de Fora, apreendeu na noite desta quarta feira (22) 209,5 Kg de maconha. Foi determinado pelos policiais  a parada de um Ford Fiesta que transitava no sentido Rio de Janeiro. O condutor do veículo empreendeu fuga em alta velocidade e percorreu cerca de 20 km, até que fosse abordado pelos policiais. Ainda assim, o homem de 29 anos, identificado pelas iniciais M. B. S., tentou fuga a pé, sendo imediatamente contido pela equipe destacada na ocorrência. No interior do veículo foram encontrados diversos tabletes de substância semelhante à maconha, que totalizaram cerca de 209,5 kg da droga. Em consulta aos sistemas, verificou-se também que o veículo usava placas clonadas, tendo em seus registros ocorrência de roubo. “Ocorrência encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil em Juiz de Fora” relata a PRF.

PRF- JUIZ DE FORA